Regeneração de nascentes urbanas: uma revolução gentil

A cidade de São Paulo possui uma vasta hidrografia que a maior parte dos cidadãos desconhece. Os moradores mais antigos da cidade de São Paulo ainda guardam na memória a vida boa na beira dos rios, onde as pessoas se reuniam para pescar, nadar, contemplar, navegar e usufruir da presença dos rios correndo livres e limpos. Porém um plano de urbanização equivocado foi aos poucos escondendo cada curso de água embaixo de ruas, dentro de canos, longe de nossa percepção. Os rios passaram a ser vistos como canais para transportar nossos dejetos. E a vida na cidade tornou-se árida, com um rítmo que privilegiou a passagem dos carros e não a passagem das águas. Fomos violentamente apartados do convívio com nossos rios. As novas gerações que cresceram na cidade de São Paulo já não sabem o que é uma nascente e tem poucas oportunidades para conhecer e conviver com um rio limpo.
Porém os rios estão todos vivos sob o asfalto. Eles continuam correndo secretamente e na época das chuvas nos lembram de sua presença, rompendo os caminhos artificiais que lhes foram impostos e se revelando em todo seu vigor.
Há na cidade de São Paulo um movimento crescente de pessoas que escutam os rios sob as tampas dos bueiros, percebem seu traçado em becos, praças e vielas, descobrem as pistas que vão deixando em seu caminho no meio fio entre os carros. Nos últimos anos, grupos de cidadãos se reúnem e se organizam em mutirões festivos para revitalizar nascentes, construir lagos, regenerar a natureza, recuperar pedacinhos de riachos e trazer os rios de volta ao nosso convívio.
Essas pessoas são as protagonistas de uma revolução gentil. Enquanto o poder público ignora nossas águas, elas se equipam com enxadas, pás, mudas e alegria e criam pequenos oásis de vida abundante na cidade de concreto. Lugares antes abandonados, violentos, esquecidos, vão aos poucos se transformando em berçários de vida, hortas comunitárias,  lagos cheios de sapos, peixes, libélulas, abelhas nativas, pássaros, árvores, comunidade unida e paz.

Pin It on Pinterest

Share This