Nos tempos atuais, a preocupação com o meio ambiente e a saúde do planeta atingiu proporções globais. Felizmente! Porque, não só essa preocupação leva a atitudes diretas por parte de milhões de pessoas ao redor do mundo no sentido de cuidar do nosso planeta, mas essa rede de consciência ambiental também consegue conter, refrear e até reverter atitudes completamente insanas de alguns “líderes” nacionais absolutamente destrutivas e desconectadas da realidade.
Mas essa consciência global pode ir além. Temos tendência, tradicionalmente, e especialmente neste país, ao paternalismo. Elegemos alguém, esperamos que este alguém resolva os problemas por nós, e lavamos as mãos. Mas está errado. Eu, você, cada um de nós, continuamos com nossas responsabilidades civis, individuais, cuja somatória leva ao todo e ao fim que desejamos. O político é apenas um facilitador. Quando é.
O seu jardim é uma unidade ecológica. Seu jardim faz parte da ecologia do seu bairro, que faz parte da ecologia da sua cidade, do Estado, e assim por diante, até o planeta como um todo. Você tem responsabilidade. O que você faz se reflete no coletivo e não há como se isolar.
Ao viabilizar no seu espaço privado, o seu quintal, o desenvolvimento de uma pequena rede ecológica, ou seja, de interações entre todos os organismos vivos, vegetais e animais, microscópicos e macroscópicos, entre eles e seu meio ambiente físico, valorizando espécies vegetais nativas e adaptadas às condições climáticas locais, você está inserindo seu jardim num contexto ecológico mais amplo. Ele faz parte da continuidade ecológica da sua região. Plantas do seu quintal cruzam com plantas da vizinhança. Plantas do seu quintal dispersam suas sementes pela vizinhança. Plantas do seu quintal oferecem lar, poleiros, alimento e rotas de passagem para pássaros, insetos, anfíbios e pequenos mamíferos.
Mas se seu quintal for apenas um extenso gramado, ele representará uma falha, um buraco nessa continuidade. Se muitos moradores fizerem o mesmo, toda esta vida desaparece. E sobram e se propagam apenas as pragas. Aqueles de que não gostamos. Moscas, mosquitos, ratos, baratas, livres de seus predadores e de toda a sua rede de controle que foram expulsos.
Você se preocupa com o meio ambiente. Você tem responsabilidade. Você faz a diferença para você, para o todo, para o planeta.

Texto: Rafael Marques Porto

Pin It on Pinterest

Share This